Otimização de conteúdo: dicas de SEO para melhorar o ranking no Google

otimizar-conteudo-seo

Nos últimos anos, as estratégias de marketing mostraram uma nova tendência. Uma pesquisa feita pela Conversion mostrou que, em 2022, o maior investimento das empresas foi em SEO (50,2%), seguido por Marketing de Conteúdo (48,9%), e Mídia Paga (46%).

Isso não é à toa: em um mundo digital competitivo, a otimização para mecanismos de busca (SEO) é a chave para alcançar as primeiras posições no Google e garantir um fluxo orgânico de pessoas que acessam o seu conteúdo.

Mas, não é só de produção de novos conteúdos que se vive o SEO. Para garantir que o seu site continue performando bem ao longo do tempo, é preciso manter uma rotina de otimização de conteúdos antigos. Afinal, não só a sua concorrência está produzindo material sobre o mesmo tema que você, como também o algoritmo muda constantemente.

Por isso, se você quiser saber mais sobre como otimizar os conteúdos antigos do seu site para que eles performem melhor nos buscadores, continue lendo esse conteúdo.

O que é SEO e para que ele serve?

SEO, que significa "Search Engine Optimization" (Otimização para Mecanismos de Busca, em português), é um conjunto de técnicas e práticas aplicadas para otimizar um site ou conteúdo online, visando melhorar sua visibilidade nos resultados orgânicos dos motores de busca, como o Google, Bing, Yahoo, entre outros.

Você sabia que apenas 0.63% das pessoas clicam nos resultados da segunda página do Google, segundo a BlackLinko? É por isso que o SEO é tão importante: o objetivo principal é fazer com que as páginas da web alcancem os primeiros resultados nos mecanismos de busca, aumentando a probabilidade da sua empresa ser encontrada e visitada pelos usuários.

Além da otimização dos conteúdos antigos, as práticas de SEO envolvem diversas estratégias, incluindo: pesquisa de palavras-chave, otimização de conteúdo, link building, melhorias na estrutura do site, otimização de imagens, etc.

Utilizando SEO para o Google

O mecanismo de busca mais conhecido é o Google e, por isso, normalmente as empresas focam os seus esforços de SEO no que é definido pelo algoritmo do Google. Mas, para fazer isso é preciso entender o que essa ferramenta deseja dos sites.

Neste documento, a própria empresa demonstra como acontece a busca e indexação dos conteúdos em três estágios:

  • Rastreamento: não existe um repositório de todos os sites do mundo É por isso que primeiro o Google precisa encontrar todas as URLs existentes na web. Elas podem ser encontradas porque aparecem em outras páginas já existentes (daí a importância de uma estratégia de backlink, ou seja, trocar links com sites parceiros para ajudar nessa descoberta) ou porque foi enviado uma lista de páginas (sitemap) para o Google descobrir.
  • Indexação: depois que uma página é rastreada, o Google tenta identificar o conteúdo dela. Esse estágio é conhecido como indexação e inclui o processamento e a análise do conteúdo textual e das principais tags e atributos do conteúdo, como elementos <title> e atributos alternativos, ou seja, imagens, vídeos e muito mais.
  • Exibição dos resultados da pesquisa: por fim, quando um usuário faz uma consulta, o Google pesquisa o índice de páginas e retorna os resultados com maior qualidade e relevância para a consulta dele. A relevância é determinada por centenas de fatores, que podem incluir informações como a localização, o idioma e o dispositivo do usuário (computador ou smartphone).

O que é preciso para estruturar uma estratégia de SEO?

Como toda estratégia de marketing, antes de irmos para o tático, precisamos definir as metas e os objetivos da ação, afinal: você quer aumentar o tráfego para o seu site? Melhorar a exposição da sua marca? Aumentar as vendas e as conversões?

Além disso, o seu ICP e o público-alvo do seu site estão bem definidos? Quais são as necessidades desse público? O que eles estão procurando ver e aprender?

banner-guia-de-icp

Quando essas perguntas estiverem respondidas com clareza, a estratégia de SEO poderá ser definida com mais assertividade. Isso começa por entender as palavras-chave que são buscadas pelo público do seu negócio.

Ferramentas para auxiliar na sua estratégia de SEO

Normalmente, quando falamos do planejamento de palavras-chave, o time de marketing já tem em mente quais palavras deseja performar bem. Por exemplo: se você está atuando com uma solução para o mercado financeiro, termos como planejamento financeiro, FP&A e finanças são algumas palavras-chave que, a princípio, podem parecer boas para utilizar na estratégia.

Mas, será que são mesmo?

Isso pode ser definido por um conjunto de fatores como o volume de busca por aquela palavra em específico no Google e a dificuldade que seria colocar essa palavra nas primeiras posições com o seu site.

Para ajudar nessa atividade, é possível usar ferramentas (nem sempre pagas) disponíveis no mercado como, por exemplo:

  • Keyword Planner: ferramenta gratuita oferecida pelo Google e uma das mais completas do segmento. Um dos seus diferenciais é a possibilidade de identificar palavras-chave concorridas em mídia paga;
  • Ubersuggest: além de ser 100% gratuita, os seus diferenciais ficam por conta do visual limpo e das funcionalidades intuitivas, o que garante praticidade para quem está começando a usá-la;
  • Semrush: essa ferramenta tem a versão gratuita e uma paga e concorre com o Keyword Planner em termos de quantidade de informações oferecidas. Por isso, é uma das mais famosas.

Além disso, também é uma boa ideia olhar para as tendências de novos conteúdos ao longo do tempo. As ferramentas que podem ajudar nisso são:

  • Google Trends: o Google Trends é uma ferramenta gratuita que mostra gráficos, notícias e relatórios relacionados às palavras-chave selecionadas por você.
  • Google Alerts: nessa ferramenta gratuita, você define as palavras-chave que deseja acompanhar e recebe um alerta no seu e-mail com os últimos materiais publicados utilizando essas palavras. Outra aplicação interessante é saber o que os concorrentes têm falado sobre uma marca específica.
  • Buzzsumo: o Buzzsumo é um programa gratuito pelo qual você pode rastrear marcas, identificar os conteúdos mais compartilhados para determinadas palavras-chave, entre outras funcionalidades.

6 dicas para otimizar os posts antigos do blog

Não é incomum que o time de marketing comece a produzir conteúdo para o blog sem ter definido uma estratégia de SEO anteriormente. Além disso, também é possível que o algoritmo tenha mudado e, por isso, os posts antigos tenham parado de performar tão bem.

É importante que, antes de tudo, o time reveja a documentação do Google para entender se alguma coisa mudou — caso seu foco seja indexar o conteúdo nesse buscador. Mas, algumas dicas são indispensáveis ao revisar o conteúdo.

1. Reveja a qualidade do conteúdo

A própria documentação do Google mostra algumas perguntas importantes que devem ser feitas ao começar a fazer uma autoavaliação do material. Separamos por aqui as principais perguntas que costumamos usar ao revisar os conteúdos antigos para entender se estão no padrão de qualidade desejado.

São elas:

  • O conteúdo mostra informações, relatos, pesquisas ou análises originais? Ele inclui uma descrição significativa, completa ou abrangente do assunto? O material apresenta análises relevantes ou informações interessantes e originais?
  • Quando o conteúdo é baseado em outras fontes, você evita simplesmente copiar ou reescrever e adiciona valor e originalidade ao material?
  • Você evita o uso de termos exagerados ou chocantes no título principal, ou no da página?
  • O conteúdo oferece um valor significativo quando comparado a outras páginas nos resultados da pesquisa?
  • O conteúdo é bem produzido ou parece ter sido feito às pressas, ou com pouco cuidado?
  • O conteúdo apresenta as informações de maneira confiável, com indicação clara da fonte, evidências do uso de conhecimento especializado e dados sobre o autor ou site da publicação (como links para uma página de apresentação)?
  • O conteúdo é escrito ou revisado por especialistas, ou entusiastas que comprovadamente conhecem bem o tema?

Essa primeira análise já auxiliará a iniciar uma revisão completa do blog post — o que nos leva ao tópico seguinte.

2. Revise os tópicos e imagens dos blog posts antigos

Não só de revisão de qualidade irá atuar a sua otimização. Você pode aproveitar para revisar os tópicos — para entender se eles estão aderentes com as palavras-chave — e fazer algumas melhorias em imagens.

É importante dizer que as imagens do seu blog precisam ter no nome as palavras que você está tentando ranquear, por exemplo: ao invés de colocar no meio do seu conteúdo um arquivo imagem.png, opte por colocar no nome do arquivo a principal palavra daquele conteúdo. No caso do blog post que você está lendo a imagem ficaria como “seo.img”, por exemplo. Além disso, atente-se ao peso das imagens, que precisam ser leves para facilitar o acesso das pessoas ao site.

Caso seja interessante, adicione um menu antes de começar o seu conteúdo, criando uma âncora para cada um dos tópicos. Assim, as pessoas conseguem avançar mais facilmente na leitura do conteúdo e isso também ajuda o seu post a aparecer no menu de perguntas do Google.

3. Verifique se seu conteúdo reflete as últimas informações

O mundo muda o tempo todo, isso é apenas um fato. E é por isso também que o seu conteúdo de 4 anos atrás pode não estar refletindo o que existe de mais atualizado sobre um assunto.

É importante fazer uma pesquisa sobre os últimos dados e as últimas tendências, garantindo um conteúdo constantemente em evolução. Se você está lendo esse material no momento da publicação, por exemplo, pode ser que daqui a 1 ano as informações passadas já não reflitam as últimas atualizações do algoritmo — daí a necessidade de fazer um “check” periódico no material.

4.  Construa backlinks

Backlinks são links de outros sites para o seu site. Além de serem uma indicação para mecanismos de busca de que o seu site é relevante e confiável, eles também auxiliam os mecanismos de busca a encontrar o seu site mais facilmente.

Uma ótima maneira de construir backlinks é através das parcerias de marketing, ou seja, você encontra outro conteúdo que é relevante e pode direcionar para o seu material. Em troca, você também colocará o link do parceiro no seu blog.

Quando fizer a revisão de conteúdos antigos, aproveite para procurar conteúdos de possíveis parceiros comerciais e fazer essa sugestão de parceria para troca de backlinks.

5. Verifique se todas as páginas estão ativas (e redirecione as que não estão)

Caso uma página seja deletada, é de suma importância que você implemente redirecionamentos para ela. Caso isso não seja possível, você precisa criar uma página 404 personalizada para garantir uma melhor experiência para o usuário que encontrou aquela página.

O que acontece é: muitas vezes o time de marketing opta por deletar um conteúdo que não faz mais sentido, sem redirecionar a página para outro conteúdo semelhante. Como o usuário ainda encontrará aquela página antiga indexada, isso causa não só uma experiência negativa para ele, mas também pode resultar em penalizações para o seu domínio.

Portanto: sempre que você deletar uma página, já crie um redirecionamento para ela. Se você não fazia isso antes, busque as URLs antigas para criar um redirecionamento o quanto antes.

6. Monitore seu progresso

Por fim, monitore seu progresso constantemente. O ideal é acompanhar as palavras que você está tentando indexar e ir vendo a evolução delas no mecanismo de busca, para identificar quando é necessária uma otimização. Assim, esse vira um trabalho constante, focado naquelas palavras que começaram a decair.

Lembre-se: não pense que você conseguirá a posição número 1 em todas as palavras que você desejar, nem sempre isso será possível, mas é importante realizar um trabalho constante em busca desse objetivo.

Bônus: revise o seu site para SEO

Antes de tudo, você sabe se está no Google? Para descobrir, faça uma pesquisa do tipo:

site: URL da sua página inicial

Se o seu site aparecer nos resultados dessa pesquisa, significa que sim, seu site está sendo indexado pelo Google. Por exemplo, uma pesquisa por site:mkt4sales.com retorna estes resultados.

O seu site (como um todo) deve ser tecnicamente otimizado para mecanismos de busca. Isso significa, principalmente, que ele deve ser rápido, fácil de navegar e acessível para todos os usuários, independente do meio que estão utilizando para acessá-lo.

Você pode começar a otimizar o seu site verificando a velocidade de carregamento, a estrutura do site e a acessibilidade. Além disso:

  • Confira se todos os recursos (imagens, arquivos CSS etc.) ou páginas que o Google precisa rastrear estão acessíveis a ele;
  • Confirme se eles não estão bloqueados e se estão acessíveis a usuários anônimos - as páginas inacessíveis não vão ser exibidas no relatório de indexação de páginas;
  • Use a ferramenta de inspeção de URL para renderizar a página ativa e verificar se o Google consegue vê-la como esperado.

Por fim, lembre-se: o time da Mkt4sales está sempre pronto para te ajudar a construir as melhores estratégias de marketing e tirar todas as suas dúvidas sobre esse assunto. Fale com nossos especialistas hoje mesmo.



Lívia Macedo

Formada em Comunicação em Mídias Digitais pela UFPB, Lívia começou sua carreira em meio a produção de conteúdo para internet. Já trabalhou em agências e atua há quatro anos no Marketing de empresas SaaS. Sua experiência está na Produção de Conteúdo, Inbound Marketing e vendas complexas B2B. ____________________________________________________________________________________________ Sobre a Mkt4Sales: a Mkt4Sales é uma consultoria de estratégia comercial pioneira na implementação de Máquinas de Vendas em empresas B2B de vendas complexas. Utilizando estratégias de ABM, Inbound e Outbound Sales, a Mkt4Sales ajuda empresas a implementarem uma forma contínua de geração de oportunidades qualificadas e conversão em vendas. Além dos projetos de consultoria, em que orienta as empresas a montarem suas próprias Máquina de Vendas, a Mkt4Sales também atua na implementação de novas tecnologias, ajudando as empresas a ganharem eficiência e escala no processo comercial.

New Call-to-action

Recomendados:

Geração de demanda Marketing digital Inbound Marketing

As estratégias de branding B2B que ajudam sua empresa a vender mais

Pode parecer estranho começar esse conteúdo com essa pergunta, mas… Você já ouviu falar do “present participle” do inglê...

Marketing digital

DBM: entenda o que é e como usar Database Marketing

Todos os dias, nós, como empresas, estamos em uma busca cada vez mais acirrada pela atenção do público. Para se ter idea...

Geração de demanda Marketing digital Consultoria comercial Processo comercial Gestão de vendas Inbound Marketing

Top 11 influenciadores de marketing e vendas B2B para você seguir

Nem só de blogueiras de moda e dancinhas no TikTok se fazem os conteúdos produzidos nas redes sociais! Cada dia mais — p...

Entenda como estão seus processos comerciaisQuero receber contato de um especialista